Sobre os estilos

    Compartilhe
    avatar
    Lenneth Valkyrie
    Administração
    Administração

    Mensagens : 407
    Data de inscrição : 08/06/2009
    Idade : 29
    Localização : no inferno

    Sobre os estilos

    Mensagem por Lenneth Valkyrie em Dom Fev 14, 2010 4:14 pm

    Sabemos que há uma infinita divisão dos estilos de mangá... Aqui irei citar alguns e colcoar uma breve explicação e exemplos sobre eles:

    Para os japoneses as histórias em quadrinhos são leitura comum de uma faixa etária bem mais abrangente do que a infanto-juvenil. A sociedade japonesa é ávida por leitura e em toda parte vê-se desde adultos até crianças lendo as revistas. Portanto, o público-consumidor é muito extenso, com tiragens na casa dos milhões e o desenvolvimento de vários estilos para agradar a todos os gostos.

    Por isso os mangás são comumente classificados de acordo com seu público-alvo. Histórias onde o público alvo são meninos — o que não quer dizer que garotas não devam lê-los — são chamados de shounen (garoto jovem, adolescente, em japonês) e tratam normalmente de histórias de ação, amizade e aventura. Histórias que atualmente visam meninas são chamadas de shoujo (garota jovem em japonês) e têm como característica marcante as sensações e sensibilidade da personagem e do meio (também existem garotos que leem shojo.). Além desses, existe o gekigá, que é uma corrente mais realista voltada ao público adulto (não necessariamente são pornográficos ou eróticos) e ainda os gêneros seinen para homens jovens e josei para mulheres. Os traços típicos encontrados nas histórias cômicas (olhos grandes, expressões caricatas) não são encontrados nessa última corrente. Existem também os pornográficos, apelidados hentai. As histórias yuri abordam a relação homossexual feminina e o yaoi (ou Boys Love) trata da relação amorosa entre dois homens, mas ambos não possuem necessariamente cenas de sexo explícito.

    Shounen/Shōnen:
    É um gênero de mangá ou anime direcionado a jovens do sexo masculino, apesar de poder também interessar a qualquer gênero ou faixa etária. As características mais comuns desse estilo são os enredos humorísticos e as cenas de ação, superação de desafio, competição e a perseverança, onde a vitória deve ser alcançada a qualquer custo. Muitas histórias dão ênfase à camaradagem entre homens em times ou equipes. Também é comum, em algumas histórias, a existência de belas personagens femininas, geralmente com cenas de semi-nudez ou nudez, mas não em todas (essas series com nudez muitas vezes têm um tema romântico). O estilo de desenho não tem muitas características próprias, mas geralmente é mais simples que o shōjo.As revistas de mangá mais populares no Japão são do estilo shōnen, como a Shonen Jump e a Shonen Magazine.
    Exemplos de Shounen: Dragon Ball, Yu Yu Hakusho, Naruto, One Piece, Bleach , Os Cavaleiros do Zodíaco , Yu-Gi-Oh! Duel Monsters e Bakugan Battle Brawlers.

    Shoujo/Shōjo:
    é um termo usado para referir animes e mangás para garotas até aproximadamente 13 anos. Os mais conhecidos no Ocidente são os romances ou comédias românticas que normalmente envolvem personagens da mesma idade do público-alvo (adolescentes). Entretanto, também é possível encontrar mangás shōjo de conteúdo histórico, de ficção científica ou terror, por exemplo. O primeiro mangá considerado shojo foi A Princesa e o Cavaleiro criado pelo mangaká Osamu Tezuka que conta com muitas obras famosas de outros gêneros de mangá como Astro Boy, na década de 50.
    Exemplos de Shoujo: Lovely Complex, CardCaptor Sakura, Full Moon wo Sagashite

    Gekigá:
    É o termo em japonês usado para definir um tipo mais adulto de mangá, voltado para públicos amadurecidos, sendo um estilo que pode retratar tanto temas reais quanto fictícios. Foi criado por Yoshihiro Tatsumi e mais tarde adotado por outros artistas japoneses de uma linha mais séria de mangá que não queriam que suas obras fossem reconhecidas como tal, numa referência quase pejorativa do termo "mangá", a que chamavam de "desenhos irresponsáveis". Assim como Will Eisner havia criado o termo graphic novel para diferenciar trabalhos mais sérios de arte sequencial dos quadrinhos comuns ou populares, esses novos artistas japoneses criaram o termo gekiga para designar trabalhos mais adultos dentro dos quadrinhos nipônicos.
    Exemplos de Gekigá: Vagabond, A Lenda de Kamui, Kozure Okami (Lobo Solitário) e Akira

    Seinen:
    Significa "homem jovem" no Japão, e é a definição dada aos mangas e animes voltados para o público masculino entre os 20 a 40 anos. Famosas revistas Seinen são Young Jump, Young Animal, Ultra Jump, Afternoon e Big Comic. Vale a pena lembrar que o conceito de "maduro" para sociedade japonesa é bem diferente da nossa. Quadrinhos como Hokuto no Ken que no Japão foi lançado como infanto-juvenil, recebem uma censura de 18 anos por conter cenas de nudez e violência. Apesar de até pouco tempo no Brasil tal material ser considerado "censura-livre", devido ao crescimento da censura muitos mangás tem sido lançados com "recomendações" muito acima das dadas no Japão.
    Exemplos de Seinen: Vagabond, Akira, Elfen Lied, Gantz, Berserk e Afro Samurai

    Josei:
    Significa "mulher" em japonês, é a definição dada aos mangás e animes normalmente voltados para o público feminino adulto. No Japão, as revistas de histórias em quadrinhos (mangás) possuem vários estilos e gêneros, que depois são relançadas em coletâneas como os mangás lançados por aqui. Por isso, essas revistas são classificadas de acordo com o público-alvo. Assim revistas para meninas são chamadas de shōjo, para meninos são chamadas de shōnen, para mulheres são chamadas de Josei e para homens Seinen. Naturalmente, também existem revistas especializadas em determinados gêneros, como ficção cientifica, esportes, humor e até alguns fetiches sexuais, com histórias voltadas para a o sadomasoquismo, por exemplo. Vale a pena lembrar que o que é considerado "maduro" para sociedade japonesa é bem diferente para a nossa sociedade. Quadrinhos como Hokuto no Ken, que no japão foi lançado como infanto-juvenil recebem uma censura de 18 anos por conter cenas de nudez e violência. Apesar de até pouco tempo no Brasil tal material ser considerado como "censura-livre", devido ao crescimento da censura muitos mangás tem sido lançados com "recomendações" muito acima das dadas no Japão. O Josei é um amadurecimento do shōjo. As histórias são geralmente na vida e o cotidiano feminino, mostrados de forma mais realista, enquanto os mangás shōjo (voltado para meninas e adolescentes) apresentam, em especial, romances idealizados.
    Exemplos de Josei: Pet Shop of Horrors, Papa to Kiss in the Dark, Honey and Clover, Gokusen, Nodame Cantabile, Paradise Kiss e Michiko e Hatchin.

    Hentai:
    É uma palavra japonesa que, nos países ocidentais, é usado para se referir, em especial, à pornografia nos estilos japoneses de desenho (anime e mangá).
    Gêneros de Hentai: Kemono (Animais, no ocidente também conhecido como Yiff ou Furry), Futanari (hermafroditas), Loli-con (meninas jovens), Shota-con (meninos jovens), Yaoi (gays), Yuri (lésbicas) e Guro (grotesco, pode envolver violência e scat)

    Yaoi:
    É um gênero de publicação que tem o foco em relações homossexuais entre dois homens e tem geralmente o público feminino como alvo. O termo se originou no Japão e inclui mangá, anime, novelas e dōjinshis. No Japão esse gênero é chamado de "Boy's Love", ou simplesmente "BL", e "yaoi" é mais usado por fãs do ocidente. O yaoi se expandiu para além do Japão; materiais podem ser encontrados nos Estados Unidos, assim como em nações ocidentais e orientais ao redor do mundo.
    Exemplos de Yaoi: Ai no Kusabi, Boku no Sexual Harassment, Gravitation, Kaze to Ki no Uta...

    Yuri:
    É um gênero de mangá e anime que descreve relações românticas entre mulheres. Yuri é mais usado para conteúdo explícito, enquanto shoujo-ai, para conteúdo mais leve. Porém, há também o yuri hentai, que, como diz o nome, possui conteúdo explícito e pornográfico, referente ao amor de duas garotas. A palavra tem origem no Japão, onde essa diferença no uso das palavras é mais marcante, e as lésbicas japonesas não usam nenhuma das palavras para se descreverem. O termo, incorretamente usado para definir relações sexuais entre duas garotas, é usado para indicar relações não-explícitas, ou seja, mostra o antes e o depois, nunca o durante (geralmente, há algum fator da trama que impede sua exibição).
    Exemplos de Yuri: Como elemento central da História: Blur Drop, El Hazard, Steel Angel Kurumi 2, Strawberry Panic!
    Com um pouco de Yuri/Shoujo-ai na história: Loveless, Mahou Sensei Negima!, Burst Angel, CardCaptors Sakura, Sailor Moon

    ----------------------------------------------------------------
    Fonte: Wikipédia


    _________________
    † Summer Queen ♥ †

      Data/hora atual: Qua Jul 26, 2017 7:43 am